Alunos da Escola Municipal de Guaipava aprendem a jogar Tapembol

Alunos de 5º ao 9º ano da Escola Municipal de Guaipava aprenderam a jogar Tapembol.

Um esporte inovador e inclusivo, uma vez que permite que todos participem do jogo de forma instantânea.

Além de contribuir com o desenvolvimento da coordenação motora, preparação física e tomada de decisão, a regra obriga o trabalho em equipe.

O professor de Educação Física Jaisson Cassimiro Gonçalves, foi quem trouxe a novidade para a escola. Ele conheceu o Tapembol no 57º ENAF de Poços de Caldas, através do Professor Luiz Didiu.

Os alunos estão adorando!

Saiba mais sobre o Tapembol:

O Tapembol é um jogo criado no espaço escolar, de forma coletiva, cuja maneira de vivenciar se baseia inicialmente em dar tapas na bola entre os participantes, trocando passes até o objetivo do gol. Outro fator característico do jogo, é que os fundamentos permitem somente até dois toques por vez, limitando em um ou dois o contato com a bola antes que ela seja passada para outro companheiro, fazendo com que cada um precise de todos, tornando ilimitada a participação efetiva de seus componentes.

Partindo do princípio que as regras garantem e se faz necessária a participação efetiva de todos os jogadores, o jogo foi intitulado como “um jogo de todos”, devido sua aceitabilidade, inclusão e respeito às diferenças. Quando dizemos que é “um jogo de todos” é porque ele também pode ser da criança, do adolescente, do jovem, do adulto e de todos que tenham a vontade de praticar, não importando se é alto, magro, baixo ou gordo ou até mesmo que não tenha adquirido vivências de movimentações em outros esportes.

O jogo foi criado pelo Professor de Educação Física Marco Aurélio Cândido Rocha, enquanto professor de Educação Física Escolar, em uma turma onde eu tinha dificuldades para difundir o esporte e hoje, pulou os muros da escola, possuindo adeptos em outras escolas de Caeté, bem como em cidades próximas como Belo Horizonte, Jaboticatubas, Lagoa Santa, Diamantina e Viçosa, que viram no Tapembol uma nova possibilidade para oportunizar o conteúdo jogo no Ensino da Educação Física.

O Tapembol já esteve presente em Semanas Acadêmicas, Palestras e Seminários em cinco Universidades de Minas Gerais (FUMEC, UNIVERSO BH, UIT ITAÚNA, UFV FLORESTAL e UFMG) e na UFF, em Niterói, como experiências de expansão.

Como se joga?

O Tapembol é praticado com uma bola própria para crianças e outra para adolescentes, no mesmo espaço utilizado para realização do futsal. A quadra possui ainda algumas particularidades, que são os pontos de vantagem (são quatro, ficando dois em cada linha lateral da defesa e dois no ataque, o qual é utilizado para cobranças de vantagens e trocas em substituições), a expansão da área (são as laterais esquerda e direita do gol, onde o goleiro atua como jogador, podendo dar até dois toques na bola) e a vantagem de área (cobrança feita por dois jogadores, na área, somente contra o goleiro), que dão características dinâmicas ao jogo.

As equipes são compostas por seis participantes de cada lado sendo classificados como um goleiro, dois na defesa, um central, um apoio direito e um apoio esquerdo. O goleiro é o principal defensor da área e articulador de jogadas. Não poderá tocar na bola fora da sua área, exceto lateralmente, bem como utilizar do corpo para que o adversário não tenha acesso a mesma. Não é permitido que se tenha condutas desleais como chutar a bola, utilizar as mãos fechadas, empurrar o adversário, etc.

Fonte: www.tapembol.com.br

Clique aqui para ver a matéria no site da Prefeitura Municipal de Paraguaçu.

Deixe um comentário sobre o Tapembol